REGULAMENTO

CRONOGRAMA

08:00 – Check-in para retirada do kit para o GRUPO 2

08:30 - Briefing para o GRUPO 2

09:00 – Início do Festival para o GRUPO 2

11:00 – Check-in para retirada do kit para o GRUPO 1

11:30 – Briefing para o GRUPO 1

12:00 – Término do Festival para o GRUPO 2 – ENTREGA DAS FICHAS

12:00 – Início do Festival para o GRUPO 1

15:00 – Término do Festival para o GRUPO 1 – ENTREGA DAS FICHAS

15:30 – Divulgação dos resultados do Festival

15:45 – Pódio do Carioca de Escalada (Todas as categorias)

16:00 – Abertura do isolamento

16:45 – Fechamento do isolamento

17:00 – Início das finais (Masculino / Feminino)

20:00 – Cerimônia de agradecimento, pódio e premiação da Copa do Brasil

 

O Festival de escalada é uma confraternização entre os escaladores, onde todos escalam juntos, sem isolamento, nas diversas linhas montadas pelos route setters. As linhas são tanto para os mais experientes quanto para os iniciantes.

Serão até 40 Linhas sendo boulders de todos os níveis de dificuldade.

Cada competidor deverá estar de posse da sua ficha de pontuação e entregá-la ao juiz do setor que deseja escalar. Nesta ficha há a lista de todos os Boulders, onde cada Boulder tem sua respectiva graduação e pontuação.

O tempo total do festival será de três horas para cada GRUPO, sem pausas ou interrupções.

O acesso ao público será permitido somente a partir das 16:30 para acompanhamento das finais.

 

CATEGORIAS

Serão 16 Categorias no total. Sendo 8 Feminino e 8 Masculino para cada faixa etária.

As categorias foram divididas em 2 grupos e cada grupo escala em um determinado horário, conforme cronograma do evento.

GRUPO 1 - Feminino e Masculino

INFANTIL – Nascidos em 2015-2016

INFANTIL B – Nascidos em 2013-2014

INFANTIL A – Nascidos em 2011-2012

JUVENIL C – Nascidos em 2009-20010

GRUPO 2 - Feminino e Masculino

JUVENIL B – Nascidos em 2007-2008

JUVENIL A – Nascidos em 2006-2005

JUNIOR – Nascidos em 2004-2003

ADULTO – Nascidos até 2002

As categorias poderão ser remanejadas para um outro grupo conforme o número de atletas inscritos, com o objetivo de ajustar a quantidade de atletas entre os dois grupos. Essa informação será oficialmente divulgada em 25/04/22 após o encerramento das inscrições (24/04/22).

1. COPA BRASIL DE ESCALADA


1.1. A Copa Brasil de Escalada é um circuito anual, de 6 etapas, que compõem um ranking mantido pela
ABEE, em parceria com os ginásios e as entidades regionais/estaduais responsáveis pela
realização destas etapas.
1.2. A Copa Brasil é um circuito independente do Ranking Nacional criado como uma forma de
fomentar as competições regionais.
1.3. As etapas válidas para o ranking da Copa Brasil foram previamente submetidas e aprovadas
pela ABEE, podendo ser eventos abertos (Open) ou Campeonatos Estaduais/Regionais.
1.4. A Copa Brasil poderá conter rankings nas 3 modalidades oficiais IFSC: Boulder, Guiada e
Velocidade, desde que sejam atendidos os critérios apresentados no item 2.1.


2. REGRAS GERAIS


2.1. Para a formação do ranking da Copa Brasil de cada modalidade, deverá haver no mínimo 3
etapas e no máximo 6 etapas, observadas as regras abaixo de descarte:
a. Quando houver apenas 3 etapas, todas serão válidas para o ranking, sem descarte de
pontuação; e
b. Quando houver mais de 3 etapas, o número de etapas válidas será o total de etapas da
modalidade menos 1, com o pior resultado do atleta sendo descartado.
2.2. Para ranquear na Copa Brasil, o atleta deverá estar, obrigatoriamente, filiado à ABEE em 2022.
2.3. Será considerada para o ranking da Copa Brasil apenas a Categoria Principal da etapa válida.
2.4. Em todas as regras abaixo, serão utilizados, para fins de julgamento, os termos constantes no
glossário do regulamento ABEE 2022, com a mesma interpretação.

- Somente atletas acima de 14 anos podem passar para as finais da categoria principal (Copa do Brasil).


3. BOULDER


3.1. Para a modalidade Boulder, os eventos válidos pela Copa Brasil deverão consistir em:
a. Uma fase classificatória no formato festival, com um mínimo de 20 boulders e 3 horas de
duração; e
b. Uma fase final, no formato oficial IFSC, com 4 boulders e 4 minutos de tempo de escalada para
cada boulder.
Nota: A fase classificatória pode ser organizada em mais de uma bateria, de 3 horas cada, caso a
organização assim decidir ser melhor para o andamento da competição.


Fase classificatória


3.2. Os boulders da fase classificatória deverão ter claramente marcados com fitas, da seguinte
forma:
a. Cada agarra de saída, com posições específicas para mãos e pés, deve ser sinalizada com
duas fitas, um “V” ou uma caixa ao redor.
b. A agarra de Top deve ser sinalizada com a mesma cor e o mesmo padrão de marcação das
agarras de saída;
c. Quaisquer áreas designadas como fora dos limites devem ser sinalizadas com fita preta; e
d. Quando as agarras do boulder não puderem ser da mesma cor, todas as agarras
pertencentes a um mesmo boulder devem ser sinalizadas com uma fita da mesma cor e de cor
distinta da marcação dos boulders ao redor .
Andamento da Fase
3.3. O tempo regulamentar de 3 horas da fase classificatória é ininterrupto e improrrogável.
3.4. Ao ser iniciado o tempo da fase classificatória, os atletas podem realizar tentativas nos
boulders, quantas vezes quiserem, na ordem que preferirem.
3.5. É permitido que o atleta realize pausas dentro do tempo estipulado para a fase classificatória
ou até mesmo encerre as tentativas antes do término do tempo total.
3.6. Os atletas irão revezar tentativas nos boulders no sistema de espera/fila e cada área ou setor
será julgado por um árbitro, que ficará encarregado de controlar as tentativas.
3.7. Cada atleta poderá realizar apenas uma (1) tentativa por vez, iniciando obrigatoriamente das
agarras de saída, e ao final de sua tentativa deverá ceder o lugar para o próximo atleta da fila,
tomando a última posição de espera do mesmo ou de outro setor, à sua escolha.
3.8. Ocorrendo algum incidente técnico no boulder, deverá o responsável corrigi-lo de forma a
restabelecer a sua condição inicial. Não havendo a possibilidade de correção, o boulder deve ser
interditado e excluído da contagem de pontos da fase.
Nota: Será permitido ao atleta realizar tentativas em sequência somente quando não houver outros
atletas na fila do mesmo setor, mas sempre iniciando das agarras de saída.

Procedimento de Escalada


3.9. Não será permitido aos atletas:
a. Antes de iniciar as tentativas:
i. Tocar qualquer agarra que não seja as agarras de saída; e
ii. Fazer tick-marks ou escovar as agarras com escova que não seja a da organização.
b. Durante as tentativas:
i. Tocar, controlar ou usar qualquer área demarcada como fora dos limites pelos route
setters;
ii. Controlar ou usar qualquer agarra que não faça parte do boulder sendo tentado;
iii. Controlar ou usar os furos de fixação das agarras (t-nuts) na parede; e
iv. Controlar ou usar qualquer placa informacional ou publicitária fixada na superfície de
escalada.
Nota: Para o formato festival, os módulos ou volumes serão considerados como parte da superfície
de escalada quando estiverem dentro dos limites demarcados, podendo ser tocados, controlados
ou usados.
3.10. Será considerado que o atleta iniciou uma tentativa quando todas as partes do corpo tiverem
saído do chão.
3.11. Será considerado que o atleta completou uma tentativa quando:
a. O atleta fizer Top;
b. O atleta voltar ao chão ou cair;
c. O atleta tocar o chão (ou extensão deste) com uma parte do corpo; ou
d. O atleta realizar quaisquer ações listadas no item 3.9.
Nos casos das ações listadas no item 3.9.b, a tentativa do atleta será interrompida pelo árbitro e o
atleta deverá retornar ao final da fila.
Julgamento e Pontuação
3.12. Cada boulder do festival terá 2 pontuações possíveis:
a. Uma pontuação, maior, para quando o boulder for completado na primeira tentativa (flash);
b. E uma segunda pontuação, menor, para quando o boulder for completado a partir da
segunda tentativa.
Nota: Os boulders do festival devem ter pontuações diferentes e crescentes, seguindo os níveis de
dificuldade dos problemas.

3.13. O árbitro responsável pelo setor ou área irá registrar para cada atleta:
a. O número de tentativas realizadas em cada boulder; e
b. A pontuação equivalente quando o boulder for concluído:
i. Na primeira tentativa; ou
ii. A partir da segunda tentativa;
3.14. Será considerado que o atleta realizou uma saída correta quando retirar todas as partes do
corpo do chão, tocando as agarras de saída marcadas, sem utilizar de impulso inicial do chão para
progredir para outra agarra do boulder que não seja aquelas de saída.
3.15. Será considerado que o atleta realizou uma tentativa bem sucedida quando juntar as duas
mãos na agarra de Top demonstrando total controle do movimento.
Ranqueamento
3.16. O ranking da fase classificatória será calculado organizando os atletas em ordem
decrescente, a partir da soma das 6 maiores pontuações conquistadas.
3.17. Em caso de empates, ficará à frente, nesta ordem, o atleta com:
a. O boulder de maior pontuação individual conquistado; e
b. O atleta com o menor número de tentativas nos 6 boulders contabilizados.
Cotas para a Fase Final
3.18. Avançarão para a fase final os 8 melhores atletas da fase classificatória.
3.19. Caso algum atleta classificado não compareça para a final por algum motivo, este será
classificado na última posição entre os finalistas com o score DNS (Did Not Start), sem a
possibilidade de ingressar outro atleta para substituição do ausente.

 

Fase Final


3.20. A fase final seguirá todas as regras expressas no regulamento ABEE 2022 para a modalidade,
no que concerne:
a. Andamento da competição;
b. Procedimento de escalada;
c. Julgamento e pontuação;
d. Ranqueamento; e
e. Incidentes técnicos e apelações.

Ranking Final


3.21. O ranking final da competição se dará pelos seguintes critérios:
a. Primeiro os atletas com um ranking na fase final, em ordem crescente de suas
classificações;
b. Em seguida, todos os atletas com um ranking na fase classificatória, em ordem crescente de
suas classificações; e
c. Por último, todos os atletas inscritos, sem um ranking na fase classificatória.

Ranking Copa do Brasil


6.1. O ranking da Copa Brasil, em cada modalidade, será formado pela soma das pontuações dos
atletas conquistadas nas etapas válidas (observado o item 2.1.) em ordem decrescente, seguindo a
tabela abaixo:


Pontuação por etapa:
1º = 100                 11º = 14
2º = 80                   12º = 12
3º = 65                   13º = 10
4º = 55                   14º = 8
5º = 40                   15º = 6
6º = 30                   16º = 5
7º = 25                   17º = 4
8º = 20                   18º = 3
9º = 18                   19º = 2
10º = 16                 20º = 1


6.2. O ranking de cada etapa, válido para Copa Brasil, levará em conta apenas os atletas elegíveis
para participar do circuito, ou seja, apenas aqueles devidamente filiados à ABEE em 2022.
Ex. Nos 5 primeiros lugares do evento válido, apenas o 2º e o 5º colocados são atletas elegíveis.
Para efeitos do ranking da Copa Brasil, suas colocações serão 1º e 2º, respectivamente, e os atletas
receberão as pontuações equivalentes.
6.3. Em caso de empates, ficará à frente na soma das pontuações válidas o atleta que:
a. Se os empatados participaram em quantidades diferentes de etapas:
i. aquele que tiver obtido os pontos participando de menos etapas.

b. Se os empatados participaram da mesma quantidade de etapas, nesta ordem:
i. aquele que superou o(s) adversário(s) em mais etapas; ou
ii. aquele que conquistou os melhores resultados nas etapas com maior número de atletas.
c. Caso se esgotem os critérios acima, os atletas permanecerão empatados.